Acidente no Morro dos Cavalos, em Palhoça, mata um e complica trânsito

Caminhão bate de frente com automóvel. Motorista do carro morreu no local.

Everton Palaoro
Everton Palaoro


Florianópolis

Fotos Marco Santiago/ND
Trecho Sul da BR-101 na Grande Florianópolis viveu grande congestionamento

 

Um acidente na manhã de terça-feira, na descida do morro dos Cavalos, em Palhoça, na Grande Florianópolis, congestionou o trecho Sul da BR-101. Uma carreta bateu de frente em um automóvel, que invadiu a pista contrária. Danilo Nobre Martins, 39 anos, que conduzia o carro de passeio, morreu no local. A operação para retirada dos veículos envolvidos demorou três horas. Foram dez quilômetros de filas em cada sentido da rodovia. O trânsito ficou complicado no local o dia todo.

A colisão aconteceu por volta das 10h20. Segundo o caminhoneiro Josué Eliel Alves Melo, 36, é difícil explicar o incidente. “O Monza subia o morro sozinho. Não havia outro carro. De repente veio para a minha faixa”, lembrou.  Melo sofreu ferimentos leves. Devido às longas filas, o IML (Instituto Médico Legal) demorou pelo menos duas horas para recolher o corpo da vítima.

 

Engarrafamento na estrada atrasou chegada de peritos do IGP ao local

 

 

Impacto da batida frontal praticamente destruiu o Monza de Danilo Martins

 

O impacto da colisão praticamente destruiu o automóvel. Melo conta que a roda dianteira do caminhão passou sobre o teto do carro. “Tentei desviar, mas ele bateu no canto do caminhão”, argumentou. O motorista seguia para o Rio Grande do Sul.

O caminhão, placas EFV-7730, de São Paulo (SP), estava carregado com PVC em pó, produto utilizado para a fabricação de forros. A carga ficou esparramada na pista. Até a remoção do pó, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) liberou o trânsito parcialmente, com revezamento das pistas a cada dez minutos. O motorista Pedro Peixoto, 57, ficou três horas na fila. “Ia para a praia do Sonho, mas parou tudo”, lamentou.

O policial rodoviário Marcelo Martins acredita ser difícil apurar as causas do acidente. “É difícil explicar. Não vinha nenhum veículo junto com o Monza na pista. O motorista pode ter sofrido um mal súbito”, opinou.

 

Carga de PVC em pó ficou espalhada na pista, o que atrasou a liberação

 

Publicado em 10/01/12-23:34


Matérias relacionadas