Condenado por prostituição e estupro de meninas, ex-deputado Nelson Goetten está preso há um ano

Ex-parlamentar cumpre pena de 35 anos de prisão na Penitenciária de Segurança Máxima de Curitibanos, no Planalto Serrano

Edson Rosa
Edson Rosa


Florianópolis

Preso há um ano e dois meses depois de ser condenado a 35 anos de prisão, por estupro e favorecimento à prostituição de vulnerável, o ex-deputado estadual e federal Nelson Goetten de Lima, que chegou a presidir o PR (Partido da República) em Santa Catarina, cumpre a pena na Penitenciária de Segurança Máxima de Curitibanos, no planalto serrano. Desde o julgamento, o advogado dele, Roberto Brasil Fernandes, entrou com recurso no TJ (Tribunal de Justiça), para tentar cancelar a  sentença  assinada pela juíza Marivone Alves, da Comarca de Itapema, mas até  agora não obteve êxito.

O instrutor de fanfarra Gilberto Orsi, a vendedora de lingerie Cristiane do Carmo Alves Paes e o garçom Wagner Corrêa, acusados de participação no esquema de exploração sexual de meninas pobres, também foram condenados. Orsi a nove anos, Cristiane a 23 e Corrêa a quatro anos de prisão, todos por aliciamento das adolescentes aliciadas em cidades do Alto Vale do Itajaí e prostituídas em orgias patrocinadas pelo ex-parlamentar em luxuoso apartamento, em Meia Praia, Itapema.

Eles foram presos por policiais da Deic (Diretoria Estadual de Investigações Criminais), comandados pelo delegado Renato Hendges, que presidiu o inquérito. Segundo informações da polícia, um tio e a mãe da menor de 14 anos, cujos nomes não foram divulgados, registraram queixa na polícia ainda em 2010, quando Nelson ainda era deputado federal. A polícia pediu autorização à justiça para fazer escuta telefônica. Com base nas denúncias e nas conversas gravadas, Hendges, pediu a prisão preventiva dos suspeitos, para impedir que os atrapalhassem as investigações. Mesmo depois de preso e condenado, o ex-deputado sempre alegou inocência, segundo seu advogado.

Entenda o caso

  • O ex-vereador e ex-prefeito de Taió, ex-deputado estadual e federal e ex-presidente do Partido da República de Santa Catarina (PR/SC), Nelson Goetten, foi preso no dia 30 de maio, em São José, grande Florianópolis, por suposto crime de estupro ocorrido em 2009 e 2010. A vítima seria uma menor que, em 2009, tinha 14 anos.


  • No mesmo dia, a polícia prendeu Cristiane do Carmo Alves Paes, de 28 anos, e Gilberto Orsi, 52, ambos de Rio do Sul. Segundo a polícia, eram eles que aliciavam as meninas para o ex-deputado.


  • Além da menor, outras duas adolescentes também se dizem vítimas de aliciamento: uma de Ituporanga e outra de Pouso Redondo.







Publicado em 30/05/12-23:45

Matérias relacionadas