Dois assassinatos registrados no fim de semana em Joinville

Em um dos casos, o assassino ligou de um orelhão depois de matar uma mulher com quem estaria consumindo drogas


Duas pessoas foram assassinadas em bairros da zona Sul, em Joinville, no final de semana. A primeira ocorrência está relacionada ao uso de drogas. O corpo de Lidiane de Mello dos Santos, de 33 anos, foi encontrado seminu na manhã de sábado nos fundos da Associação de Moradores do Parque Guarani, na rua Mato Grosso do Sul.

A Polícia Militar foi até o local depois de receber um telefonema, feito de um telefone público da rua Maracajá, em que um homem que se apresentava como o assassino contou que usava drogas com a vítima no local e após uma discussão a agrediu e matou. A Polícia Civil já tem pistas do assassino e aguarda que ele se apresente nas próximas horas.

O corpo de Lidiane, que conforme registro na Central Funerária vivia em união estável e tinha quatro filhos, foi sepultado neste domingo no Cemitério São Sebastião.

Também falta esclarecer o que motivou a morte, com dois tiros na cabeça, de Nelson Oliveira das Chagas, 45 anos. Ele foi assassinado na madrugada de domingo, na rua Golfinho, no bairro Jarivatuba. Ao parar o veículo Corsa Classic, ele foi abordado por dois homens armados. Um deles disparou a arma à queima-roupa, não dando a menor chance de reação à vítima, que morreu no local, conforme relato de testemunhas para a Polícia Militar.

Os assassinos fugiram a pé do local. Conforme a Polícia Civil, um dos suspeitos do crime seria um homem conhecido por "Marquinhos", conhecido naquela região e que já está sendo investigado. 

Também conforme o relatório da Central Funerária, Nelson era casado, tinha quatro filhos e deve ser sepultado na manhã desta segunda-feira, às 9j, no Cemitério Nossa Senhora de Fátima.

Caso de suicídio é investigado na Delegacia de Araquari

Em Araquari, a Polícia Civil investiga a morte de um homem de 56 anos, que teria se suicidado na madrugada de sábado dentro da cela. Como a investigação do caso corre em sigilo, somente hoje o delegado Jeferson Prado dará mais esclarecimentos sobre o caso.

Publicado em 27/05/12-22:33