Campanha de orientação contra hanseníase em Joinville

Programação desenvolvida nesta segunda-feira no bairro Adhemar Garcia faz parte do dia nacional de luta contra a doença

Rosana Ritta
Rosana Ritta
Jornalista formada na UFSM, com 25 anos de profissão e muita energia para enfrentar as agruras e os prazeres do ofício.


Joinville

Fabricio Porto/ND

Equipe da Vigilância Epidemiológica montou posto de orientação no bairro Adhemar Garcia

 

“Meu marido tem umas feridinhas estranhas nas costas. Vou chamá-lo para que vocês possam diagnosticar”, surpreendeu-se uma dona de casa de 50 anos, ao receber na manhã desta segunda-feira (31), da equipe de profissionais do Programa de Controle e Combate à Hanseníase da Vigilância Epidemiológica, material explicativo sobre a hanseníase. Um grupo multidisciplinar, formado por psicóloga, enfermeira, assistente social e fisioterapeuta, concentrou-se na praça da Paz, no bairro Adhemar Garcia, onde conversou com os moradores e distribuiu folderes sobre a doença, na tentativa de alertá-los para que possam se prevenir ou procurar atendimento médico no caso de suspeita de algum sintoma.

A programação faz parte do Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase, instituído em 1954 para chamar atenção para a doença e combater o preconceito milenar que os portadores sofrem. Pelo que Sueli relatou às profissionais, os sinais que apareceram no marido não têm sintomas de hanseníase, pois as feridinhas que ele têm coçam, e as manchas na pele causadas por esta doença, que é contagiosa antes do paciente iniciar o tratamento, doem ao toque no estágio inicial da doença e acabam provocando insensibilidade da pele com o tempo, chegando ao ponto de a pessoa se queimar sem sentir.

Leia a matéria completa na edição de terça-feira do Notícias do Dia Joinville

Publicado em 31/01/11-17:28

Matérias relacionadas